domingo, 16 de outubro de 2016

Dia Mundial da Alimentação e o meu Molho Pesto preferido


Hoje celebra-se o Dia Mundial da Alimentação, a par do Dia Mundial do Pão e do Dia Mundial do Doente Reumático. 
Para mim é um dia como outro qualquer, no que toca aos cuidados alimentares, mas decidi refletir um pouco sobre todas as mudanças alimentares que fiz nos últimos anos e partilhar com vocês um pouco da minha evolução em torno dos alimentos e de como preparo as minhas refeições.

Diariamente somos bombardeados com o tema da alimentação saudável, de tudo o que se deve ou não comer, de uma lista infindável de alimentos que sempre considerámos indispensáveis na alimentação mas que ja não o são ou pelo menos não deveriam ser. 
Também eu já me aventurei em dietas mirabolantes, já acreditei em mil e uma coisas que li na internet, já consumi alimentos com "Gluten free" ou "Lactose free" no rótulo, enfim, uma enorme quantidade de asneiras.

Hoje o meu conceito de alimentação saudável em nada se assemelha há 4/5 anos atrás. Aprendi a "escutar" o meu corpo e fui retirando aos poucos tudo o que não necessito para me sentir com energia e saudável.  Mas confesso que são poucas as coisas que atualmente não utilizo em casa, e digo em casa porque fora é sempre dificil controlar tudo o que comemos, principalmente para quem trabalha e almoça em cantinas ou outros locais. 
Há quatro coisas que não fazem parte da minha lista de compras há bastante tempo: leite, açúcar refinado, farinha branca e óleos vegetais/margarinas. 
Leite não bebo nem utilizo nas minhas receitas porque desde que tive problemas de estômago nunca mais foi fácil digerir leite, no entanto consumo iogurtes e queijos com alguma frequência. Açúcar penso que é o único produto com o qual sou completamente radical, para mim açúcar branco é veneno e dispenso a sua utilização, no entanto, sou realista e sei que sempre que como uma sobremesa num restaurante provavelmente está carregada de acúcar mas uma vez não são vezes... E o mesmo para a farinha branca tradicional. Óleos vegetais/margarinas aqui também não entram, se tiver que fritar algo é em azeite ou óleo de côco. 

Quanto ao resto tenho uma regra simples, quanto menos alimentos embalados melhor, dar sempre preferência aos alimentos no seu estado mais natural e quanto mais biológicos melhor.  Dou um exemplo simples, considero que tudo o que tiver nomes estranhos nos rótulos geralmente é dispensável.

Mas isto é apenas o meu caso e a maneira como organizo as refeições aqui em casa, hoje mais que nunca é preciso relembrar que devem ser aconselhados SEMPRE por profissionais nesta área e não por quem não tem qualquer formação na área, como é o meu caso e de tantas outras bloggers, cada caso é um caso e cada corpo deve ter um tratamento diferente e especializado. 

Resumindo, acho que o segredo tem um nome, EQUILÍBRIO. E ser feliz a comer claro :)

E para ser feliz a comer nada como uma receita saborosa e de conforto, um delicioso esparguete integral com o meu molho pesto preferido, uns cogumelos salteados com azeite e alho e umas physalis para o contraste!



Serve 2


Ingredientes
200g de esparguete integral
1 abacate
2 punhados de folhas manjericão fresco
1 dente de alho
2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
2/4 chávena de azeite ou a gosto + um pouco para cobrir o molho
150g de cogumelos brancos laminados 
1 colher de sopa de pinhões
sumo de 1 lima
physalis a gosto

Preparação
Triturar o abacate com as folhas de manjericão, o azeite, o parmesão, sumo da lima e os pinhões, reservar num frasco e cobrir a superfície com azeite para prevenir a oxidação.  

Cozer o esparguete segundo as instruções da embalagem.

Colocar uma frigideira ao lume, quando quente adicionar um fio de azeite e o dente de alho esmagado. Deixar fritar ligeiramente e adicionar os cogumelos, saltear em lume alto. 

Envolver o esparguete com colheradas de molho pesto e os cogumelos, servir com physalis e folhas pequenas de manjericão.

Conservar o molho pesto no frigorifico coberto com um fio de azeite por um período máximo de 3 dias. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © Joana Ventura, Na Cozinha de Uma Universitária