sábado, 15 de abril de 2017

Mesas Bohemias - Noélia

Se há marca com que me identifico à mesa é a Bohemia (obrigada Rodrigo Meneses pela melhor publicidade sobre alheira de sempre), e quando esta se lembra de criar as Mesas Bohemias eu só poderia querer estar lá!

Para quem não conhece, uma explicação rápida: a Bohemia quer levar os restaurantes do norte ao sul de Portugal e vice-versa. Uma troca de gastronomia, de tradições, de sabores, e claro uma Bohemia para cada prato. Poderia ser melhor? Eu diria que não.

Entre os dias 6 e 9 de Abril foi a vez da Noélia vir ao Porto... A Noélia, os seus pratos de cheiro a mar, Algarve e coentros. Uma experiência gastronómica e cervejeira que não me poderia agradar mais! Confesso que nunca visitei a Noélia em Cabanas de Tavira, mas se já antes existia o "bichinho" agora é certo que sempre que rumar a sul lhe irei fazer uma visita.

Dia 9, um domingo cheio de sol, dirigi-me ao BH Foz, sem dúvida uma escolha feliz, estava um dia lindo e o BH tem uma vista invejável.


Assim que entrei fui agradavelmente surpreendida pela disposição da sala. A Bohemia quis um conceito de mesas partilhadas, pelo que fiquei bastante agradada por ficar numa mesa repleta de foodies exigentes que conheciam bem a Noélia e que me deram as melhores dicas de restaurantes por esse Portugal fora.




O menu era indiscutivelmente apelativo! Para começar umas tapas de Muxama de Atum. Nunca tinha provado muxama mas fiquei mesmo muito fã. O atum, quando em abundância, era uma das maiores fontes de riqueza por terras algarvias pelo que a população salgava e secava os lombos de atum, fazendo uma espécie de presunto de atum, a muxama. Hoje em dia é um produto gourmet servido com pão. E foi assim mesmo que nos foi apresentado, com pão e um gaspacho delicioso! A acompanhar, Bohemia Trigo.


Seguimos para o primeiro prato principal, canja de de amêijoas. Assim que provei a minha cara foi de espanto e satisfação. O que era aquilo? Todo aquele sabor a mar e coentros num prato tão concentrado e tão saboroso. Para mim o prato vencedor do almoço, sem dúvida! Acompanhada mais uma vez de Bohemia Trigo, ideal para peixes e marisco. 


Seguimos para o segundo prato principal e mais afamado, o polvo trapalhão com batata doce acompanhado com Bohemia Bock. O que dizer? Que sou capaz de viajar do Porto a Cabanas de Tavira sem sacrifício nenhum para comer este o polvo trapalhão da Noélia. 


O terceiro prato, açorda de galinha serrana, não é um prato típico da Noélia mas estava igualmente delicioso. Era bastante mais forte que os anteriores e apesar do meu enfartamento quase devorei o prato todo. Para acompanhar nada melhor do que Bohemia Puro Malte. 

Quando digo que o produto é tudo, digo com toda a convicção do mundo, esta açorda foi prova disso. A Noélia pediu para o pão ser transportado do Algarve para o Porto porque no Porto não encontrava um pão igual para fazer a sua açorda, obrigada CTT, eu aproveitei sem dó nem piedade da minha dieta. 


Quando já se falava de sobremesa eu só pensava no longo passeio que teria que dar pela foz para ajudar a digerir tudo isto, mas não neguei. Não poderia.

Pudim de laranja e brownie de alfarroba, mais algarvio e saboroso impossível. Uma forte bomba de açúcar que em nada me pesou na consciência.


Só posso dizer obrigada. Obrigada Noélia, obrigada Bohemia, obrigada Rodrigo e Teresa, pelo convite, pela refeição, pela troca de experiências, pela possibilidade de me trazerem o Algarve à Foz em 5 pratos deliciosos. Fiquem por aí que as Mesas Bohemias voltarão mais cedo do que imaginam!








Sem comentários:

Enviar um comentário

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © Joana Ventura, Na Cozinha de Uma Universitária